Skip to content

A Indústria de Jogos dando tiro no pé!

18 de novembro de 2008

Bom, escrever este artigo pode ser um tiro no meu pé, já que eu ainda não tenho emprego…

Mas mesmo assim eu não iria querer trabalhar para as empresas da forma como elas se comportam agora.

Basicamente, a indústria de jogos está dando mais e mais tiros no pé, no começo com dardo traquilizante, mas já chegaram no nível pistola, e em breve se não pararem vão chegar na espingarda e depois no lança mísseis.

A razão disso é o comportamento recente em relação aos jogos usados, as empreas começaram tentando dizer que não é esse o problema acusando a pirataria, exemplo seria a Crytek, Capcom e infelizmente até a Ubisoft, mas as empreas reclamarem agora que é algo novo, pois a tempos elas tem agido.

Prince of Persia 2

Prince of Persia 2

A muito tempo existe proteções legítimas anti-pirataria , como os jogos que exigiam que você tivesse o manual para conseguir jogar, como famosamente os primeiros jogos da franquia Prince of Persia, onde depois da primeira fase ele perguntava algo que somente quem tem o manual em mãos poderia responder, e mais interessante ainda, ele fazia isso após a primeira fase, que no Prince of Persia 2 é espetacular, de forma que o jogo “pirata” (ou seja, sem manual, portanto injogável) se tornava um ótimo demo.

A idéia seguinte foi exigir um CD-Rom no drive, algumas vezes o motivo era válido (realmente existiam dados no CD, como filmes e música), mas com o tempo isso se tornou apenas um método (tosco) de tentar previnir a pirataria, já que fazer “cracks no-cd” não é algo muito díficil.

Começou a ficar feio o negócio quando inventaram as formas intrusivas de forçar alguém a ter o CD, e posteriormente outras coisas, inicialmente os programas dificultavam a cópia de CDs, mas eles começaram a se tornar problemas depois que começaram a ser vencidos com facilidade por pirateadores e se tornaram problemas para os usuários legítimos (que então começaram a usar jogos piratas, ou a boicotar completamente, como o caso do Spore, lembrando que no link ali do lado o autor fala de 40 comentários, mas chegou a ter perto de 2000 comentários negativos…), principalmente por causa de programas como o StarForce e o SecuROM, que muitas vezes tem problemas sérios em algumas máquinas (o SecuROM por exemplo não deixa o Spore original de um colega meu funcionar quando o SLI está ligado)

Neste ponto a controvérsia já era gigantesca, as críticas principalmente a Eletronic Arts que usa DRM (apelidado apropriadamente de digital restrictions management: gestão de restrições digitais) agressivamente e não demonstra que vai parar o uso, mas também a quaisquer outras companhias que façam o mesmo.

Mas o que inicialmente parecia ser uma guerra contra os piratas, lentamente foi se tornando óbvio que o uso atual de DRM não é contra piratas, e sim contra a venda de jogos de segunda mão, pois as restrições deixaram de ser colocar o a mídia original no computador, e se tornaram limite de instalações, necessidade de estar com a internet ligada, entre outras coisas que permitem verificar se o usuário é o primeiro comprador ou não.

Mas só agora que finalmente as empresas acabaram “contando a verdade”, o caso mais recente e famoso do Gears of Wars 2 que não permite usuários de versões usadas jogarem em 5 mapas multijogador exclusivos.

Gears of War 2

Gears of War 2

A indústria está mostrando um comportamente cada vez mais ridículo, tornou os seus consumidores seus inimigos, até a ESA (assossiação das empresas de softwares de entretenimento) chegou a contratar um advogado que trabalhou na RIAA (a assossiação das empresas de música, que chegou ao extremo de processar pessoas que baixaram arquivos MP3 na internet, inclusive uma velhinha), as empresas não param de acusar as pessoas de pirataria, algumas empresas pararam de fazer jogos para o PC (vide Ubisoft e Epic), e recentemente até uma proibição do aluguel de jogos ocorreu na bélgica, situações como o do caso Spore citado acima estão se tornando infelizmente comuns, e uma solução (que tem falhas) que está sendo adotada contra a “pirataria” é a distribuição digital dos jogos (como através do Steam), mas que infelizmente se limita as pessoas que tem um bom acesso a internet.

A luz no fim do tunel parece que vem de empresas menores, como a Stardock, que publicou um documento chamado “direitos dos jogadores”, a Valve que disse que consumidores de protudos piratas são apenas “consumidores não atendidos”, e do site que é uma idéia genial por sinal chamado “Good Old Games” (os bons jogos velhos), onde jogos que seriam vendidos usados ou simplesmente pirateados como “abandonware” são vendidos legalmente, com apóio das publicadores (que inclusive faz os jogos antigos funcionarem em computadores modernos). E outra solução para muitos jogadores seria os jogos independentes, simples, geniais e baratos (ou até grátis), feitos por pouca gente que é forçada a economizar dinheiro ao fazer o jogo, portanto não gasta milhões para fazer um único jogo que posteriormente é vendido por 60 dólares (preço da maioria dos jogos de XBOX 360 e PS3)

Esse blog não tem limitação de comentários, e ele só modera o primeiro post de casa pessoa, podem discutir a vontade na seção de comentários 🙂 Eu só vou moderar se alguém partir para ofensas pessoais.

Anúncios
7 Comentários leave one →
  1. 3 de dezembro de 2008 12:14 am

    adorei seu artigo, é tudo aquilo que penso, é uma sacanagem isso que tá acontecendo aí…

    gostaria de poder republicar esse post no meu site, se você autorizar.

    abraços!

  2. originalspeeder permalink*
    3 de dezembro de 2008 3:22 am

    Oi, pode publicar sim no seu site!

  3. hell permalink
    5 de janeiro de 2009 2:01 pm

    So querem e dinheiro mas acho que a pirataria tem 1 lado bom mais barato Xd

  4. hell permalink
    5 de janeiro de 2009 2:02 pm

    Nao acham????????????????

    • originalspeeder permalink*
      6 de janeiro de 2009 1:36 am

      Na verdade, não eu não acho… Creio que a pirataria atrapalha sim, mas ela é algo que não vai deixar de existir enquanto os problemas que eu falei no artigo ainda existirem.

  5. Alexandre permalink
    18 de setembro de 2009 4:51 pm

    Para mim a pirataria nada mais é que um modo de populirizaçao do produto, o que eles reclamam é tudo fachada exemplo disso seria o windows 98 onde seu serial key sem nenhuma mentira seria “1234567890”, ou seja, se as empresas desejassem mesmo uma criptografia para impedir a pirataria já exisitiria nao existe pelo simples fato que torna o produto inviável se ele nao for popular isso afeta qualquer produto de jogos a sistemas operacionais, e outra qualquer empresa como ubisoft entre outros pode ganhar dinheiro de outro modo, com propaganda no meio do jogo, as empresas de publicidade já fazem isso na tv e no cinema (ex: notebook do lex lutor no seriado smallvile, entre outras propagandas discaradas que existem em filmes, seriados e novelas) e o público não liga para isso deseja mais é ter o que os personagens também usam.
    Logo se conclui que o que eles afirmam é uma total besteira no qual eles podem contornar de vários modos.

  6. 25 de maio de 2010 7:50 pm

    Favor informar o nome, telefone e e-mail de um profissional do departamento de projetos ou desenvolvimento de produtos para contato!

Deixe um comentário por favor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: