Skip to content

Pergunta ao leitor: Você pirateia jogos?

19 de fevereiro de 2009

Estou iniciando aqui uma nova série no  blog, o primeiro de vários artigos.

Basicamente funciona assim, vou escrever um pequeno artigo explicando a pergunta e o motivo da pergunta, vocês leitores escrevem as respostas por comentário, e quando eu julgar que tiver respostas o suficiente para um artigo final, eu escrevo um artigo final com minhas opiniões e as opiniões dos leitores.

Neste primeiro artigo a pergunta é: Você pirateia jogos? Porque?

 

O motivo dessas (duas) perguntas é bem simples, a ESA (Entertainment Software Association) que é a organização que organiza a E3 (Eletronic Entertainment Expo) disse que países europeus, com a itália em primeiro lugar, são culpados de grande pirataria de software. E também afirmou que conforme a pirataria sobe, as vendas legais descem.

No site gamepolitics alguns leitores afirmaram que na verdade os dados estão corretos, conforme menos jogos são vendidos, mais gente pirateia, sendo o motivo para isso é a falta de jogos disponíveis legalmente, ou por consoles travados para um país, ou jogos sem tradução oficial, portanto com pessoas baixando da internet traduções não oficiais (algo comum aqui no Brasil com o Winning Eleven).

E vocês leitores, vocês pirateiam jogos? Porque?

Anúncios
8 Comentários leave one →
  1. Stefan Novak permalink
    20 de fevereiro de 2009 8:04 am

    Hi!
    I read your comment on a Gamasutra article, this one here: gamasutra.com/php-bin/news_index.php?story=22378 (<– Gabe Newell at DICE 09)

    That was super interesting. Exactly the kind of stuff I want to read about. Now I don’t know what your thoughts about this are — doesn’t help that I don’t speak Portuguese and can’t read this website — though I personally would rather work together with pirates than with publishers if I ever were to make a game. Because really, in every part of life, efficiency is key. If a man can download and burn games for very little money (PC with internet connection, blank CD/DVD), play those games and even share them with friends, then that’s great. We have the technology to distribute games online, virtually for free, and we’ve had it since the rise of newsgroups. Distribution without hiring anyone to do it. Without need for something like Steam that capitalizes on it. People share games with others because they love to do it. Out of love for games and out of love for sharing. I say use that. Extract your money somewhere else, don’t make the process of distributing games more costly than it has to be. Don’t fuck with the efficiency of it just to enrich yourself. Think about enriching the community.

    Ain’t that a beautiful sight to a game developer when people mod, patch and localize their games for them? — like you described happening with Winning Eleven. It is to me. Why crack down on those people instead of supporting them? That doesn’t make any sense.

    Some people can afford a way of living by selling pirated games. That’s somewhat amazing to me, living in a country — Austria — where people don’t do that. How much better does it get, you know, than making a game and having people actually live off of it somehow. One might say that that’s the case with bringing a game to the retail market too and piracy is stealing money from those people — let’s be honest here though: First of all, I’d wager that pirates don’t have as many options in terms of how to make a living as shop owners and educated retail people. Secondly, pirates provide the more efficient service. All that fancy shit of retail is utterly useless to the poor. The market doesn’t work well for the poor. Retail forces you to buy that high quality boxart even if you don’t need it and can’t afford it; it forces you to have your game on that pressed and printed CD even if you don’t need it and can’t afford it. Online services are very much the same by having you pay by credit card, for example, which many can’t afford and maybe not even want to have, either.

    Piracy is cheap and sexy. There’s no fat. It’s all about the essentials. It’s a natural retail service, one that evolved out of a need, not because someone with a lot of money decided to “create demand”. The demand for affordable entertainment is there and real. Apparently no one wants to “stoop down” to that granular level where the people and their needs are.

    Everybody’s got a right to participate in life, to consume art and entertainment, to make new experiences and to learn. If we can provide these things to people that couldn’t otherwise afford it then that’s a beautiful thing. We have to make use of that possibility, if it makes us money or not. We have to find a way to do it.

    Let’s have a minute of silence for Wikipedia.

    That’s the spirit right there.

    Isn’t it?

  2. João permalink
    22 de fevereiro de 2009 2:15 am

    Antes eu costumava piratear bastante, mas depois que comecei a desenvolver jogos ando parando com isto, só não parei ‘100%’ porque não tenho condição financeira tão boa.

  3. Lucas Teixeira permalink
    25 de fevereiro de 2009 6:57 pm

    Com certeza que pirateio jogos, mesmo sendo um programador.
    Para quem vive no brasil e não goza de alto padrão financeiro é algo bastante normal.
    Imagina pagar mais de R$ 100,00 em um jogo? Só com esse dinheiro pago o super mercado! 😀

  4. Stefan Novak permalink
    25 de fevereiro de 2009 7:53 pm

    Lendo os comentários aqui… Sinceramente, por que não eles vão para baixo com os preços dos jogos? Será que eles querem que seja só para os ricos? Isso é um mau modelo de negócio…

    Above text thanks to translate.google.com. This is what I originally wrote:

    Reading the comments here… Honestly, why don’t they go down with the prices for games? Do they want them to only be for the rich? That’s a bad business model…

  5. 4 de março de 2009 2:19 am

    Olá, mermão!

    Isto não é um spam!

    Coloquei seu blog na lista “Olha que Maneiro!”, pois acho o seu trabalho muito legal e merece ser divulgado!

    Grande abraço!!!

    http://retrogamesbrasil.blogspot.com/2009/02/as-vezes-fico-pensando-que-faco-o-rgb.html

  6. o.O permalink
    30 de março de 2009 6:17 pm

    Olla Hel…Speeder,

    essa pergunta foi interessante,

    sim eu pirateio jogo, por que? bem eu uso a pirataria para avaliar o jogo que eu quero comprar antes de comprá-lo faço isso justamente porquê como todo não tenho muito dinheiro para comprar jogos, isto significa que, eu testo o jogo, se é bom como eu pensava, eu reconheço o trabalho das pessoas que o produziram e decido comprá-lo como uma maneira de mostra aos produtores o caminho que acho que os jogos devem evoluir, agora um tópico interessante que você deveria apontar: o problema dos jogos no Brasil serem caros deve por alguns motivos como a diferença na moeda cambial e os royalties (pagamentos pelo uso software do jogo) das produtoras sobre os distribuidores.

    Atenciosamente,

    Double Eyes.

  7. 16 de março de 2013 2:32 pm

    oi eu criei um game chamado animal planet e quando entro pa jogar ele pedi o tal programa haliscor sabe como baixar ele?

  8. 21 de outubro de 2013 2:47 pm

    Sim eu pirateio jogos. Porque? Simples, muitos dos mais novos jogos não vivem pelas espectativas que coloco neles(ainda esperando o jogo que vá fazer com que eu diga: ISSO SIM È UM JOGO DE VERDADE!).

    Notas de 0 à 10

    Originalidade dos jogos atuais – Nota: 4
    Quando eu tinha os consoles mais antigos os jogos apesar de simples e com menos gráficos eram muito interessantes e prendiam minha atenção, em quanto os de hoje em dia parecem que inverteram a situação, mais gráficos(que parece que o players atuais só se importam com isso, e poder usar uma arma de fogo) e menos diversidade, muitos jogos que pode-se dizer que são gêmeos, o que muda e um pedaço ou outro para que possam dizer que o jogo e original e lançar no mercado.Por isso eu comprei Saints Row The Third e Saints Row IV, é bem claro que eles não são os melhores em gráficos(gráfico serrilhado, mas maquiado), não são a maior inovação em jogabilidade, mais tem originalidade, quem pensaria em colocar um lider de uma gangue pra ser celebridade, salvar a cidade, ir pra marte, virar presidente dos EUA, lutar com alies, usar super poderes, lutar na “vida real” e num simulador de vida dos aliens, e quase tudo junto!(não inventou nada, mais a mistura ficou boa).

    Dificuldade dos jogos atuais – Nota: 6
    Esse ainda teve nota 6 porque alguns jogos ofereceram algum desafio(ex: far cry 3), e a minha vontade de tentar jogar um jogo stealth 100% como stealth. Mais tem jogos que mesmo colocando na maior das dificuldades eu ainda não percebi a difereça que tem para o level super fácil(só percebi isso: 10 inimigos na fácil e 30 na difícil, mas do modo que eu jogo os jogos de tiro, 1 ou 1milhão e o mesmo)

    Gráficos, não vou falar dessa área porque pra mim não faz muita diferença, desde que tenha coerência com o restante do jogo. Já joguei jogos acartoonizados, anime-like, realista, infantil, simplicicado(propositalmente)

    Sons, mesma coisa que os gráficos, pior ainda, são poucos os jogos que me interesso por ouvir o som(somente tiro e explosões, isso eu posso ouvir em filmes de ação), ele ta ali ligado mais são poucas as vezes que chama minha atenção.

    Não sou analista nem nada, ao contrário sou bastante diferente de muitos players, meus padrões são sim mais altos, por isso não gastarei meu dinheiro em algo que sei que só jogarei pra zerar 1 vez e depois irei deletar do meu HD.

Deixe um comentário por favor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: